10 habilidades que irão diminuir sua ansiedade

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
E-mail
Share on print
Imprimir
ImagemDestaque

Diante do cenário que temos vivido e, sendo o Brasil o país mais ansioso do mudo (de acordo com a Organização Mundial de Saúde – OMS), se torna cada vez mais importante aprender a cuidar da saúde mental.

Saúde mental, segundo a OMS, é “um estado de bem-estar no qual o indivíduo é capaz de desenvolver e apropriar-se de suas capacidades, enfrentar o estresse normal da vida, trabalhar de modo produtivo e frutífero, além de contribuir positivamente para sua comunidade.”

Desta definição, temos que saúde mental envolve as seguintes dimensões representadas na imagem abaixo, além da forma como cada pessoa se enxerga e de quanta qualidade de vida você tem. Ou seja, ser mentalmente saudável não é só não ter nenhum problema psicológico.

A preocupação com a saúde mental é antiga.

Pra você ter uma ideia, em 1997, a OMS publicou uma diretriz sobre o ensino de habilidades para a vida dentro da escola, como forma de prevenção e promoção do bem-estar emocional. Eis as habilidades propostas:

A importância de você desenvolver essas habilidades está no fato de que, sem elas, você pode ter dificuldade para lidar com o estresse do dia a dia, se comportar de forma inadequada e apresentar sintomas psicológicos, como os experimentados nos transtornos de ansiedade.

Assim, uma vez que você desenvolve essas habilidades, você tem mais chances de agir de maneira eficaz e produtiva, buscar seu bem-estar pessoal, se relacionar de forma saudável com o ambiente em que você vive e, com isso, sua ansiedade diminui.

Veja alguns benefícios que essas habilidades podem promover:

  • Estudos demonstraram que ensinar habilidades para a vida produzem efeitos positivos e importantes em relação ao uso de tabaco, álcool e substâncias ilícitas em adolescentes;
  • Aumento da competência social;
  • Diminuição da dependência química;
  • Redução de crenças sexistas e homofóbicas em adolescentes;
  • Melhora da frequência escolar, engajamento e compromisso diante de novos desafios;
  • Melhora da comunicação e do relacionamento interpessoal (com outras pessoas);
  • Desenvolvimento da empatia.

Agora, vamos ver um pouco sobre cada uma das 10 habilidades para a vida propostas.

1. Autoconhecimento

O autoconhecimento é a “habilidade de reconhecer a si próprio, incluindo seu caráter, seus pontos fortes e limitações, desejos e aversões”, bem como reconhecer seus objetivos de vida e valores pessoais.

O processo de conhecer a si mesmo pode ser construído ao longo de toda sua vida, desde a infância até o seu último dia de vida – o quanto antes você iniciar essa construção, melhor.

À medida que você interage com seu meio ambiente (família, escola, faculdade, local de trabalho, igreja, grupo de amigos, comunidade), você pode se tornar consciente de seus próprios pensamentos, suas próprias emoções e  ações, seus comportamentos e tudo relacionado às experiências que você vive.

Desse modo, você pode refletir a respeito de suas atitudes nessas interações e identificar quais sãos os seus pontos fortes e quais são suas limitações, que eu prefiro chamar de pontos de melhoria, bem como você tem a possibilidade de interpretar e compreender melhor o ambiente no qual você está inserida.

A partir do conhecimento que você extrai, você se torna cada vez mais capaz de entender e prever os padrões dessas interações e, assim, administrá-las cada vez melhor e se tornar mais hábil em relação às suas escolhas e tomadas de decisão.

Deixar de desenvolver essa importante habilidade, que é conhecer a si mesma, trará complicações para sua relação com você mesma (pois, você desconhece suas qualidades e limitações, suas emoções e sua forma de entender os fatos vividos) e para as outras pessoas que convivem com você.

2. Empatia

Nos últimos tempos, tem-se falado muito em empatia. Você sabe o que significa, realmente, a palavra empatia?

Talvez você tenha ouvido falar de empatia como algo do tipo “não faça com os outros o que não quer que façam com você” ou “não julgue para não ser julgado” (um ensinamento bíblico, inclusive).

Porém, quero te dizer, que empatia vai mais além disso. Trata-se da habilidade de se colocar no lugar do outro, imaginando como essa pessoa se sente, compreendendo-a emocionalmente e aceitando-a sem fazer julgamentos e sem se confundir com o outro – ou seja, se mantém ciente de seus próprios desejos e aversões.

É essa capacidade que vai permitir a você aceitar que aos outros, a entender que as pessoas podem ter opiniões e visões diferentes das suas, compartilhar sentimentos agradáveis e desagradáveis.

É através da empatia que você consegue perceber as necessidades do outro de cuidado, assistência e tolerância de modo que você consegue apoiar, demonstrar compreensão e validar os sentimentos dos outros (dentre outras coisas).

A falta de empatia se manifesta quando você tem dificuldade de entender visões de mundo diferentes da sua visão, do seu modo de pensar, de sentir, de agir e, com isso, surgem as discussões e desentendimentos.

No relacionamento a falta de empatia se manifesta, por exemplo, quando você só consegue ver um lado da história (provavelmente, o seu), interpretando erroneamente o seu parceiro e o próprio relacionamento.

3. Comunicação eficaz

Compreende a habilidade de expressar-se assertivamente, de forma verbal e não-verbal, diante das situações cotidianas e da cultura em que você vive. Aqui estão incluídas a expressão de opiniões, desejos, necessidades e desconfortos de maneira clara, respeitando as diferentes opiniões.

Se comunicar de forma eficaz é um meio de chegar ao outro através da transmissão de ideias, de fatos, pensamentos, sentimentos e valores e é vital no desenvolvimento e manutenção de bons relacionamentos.

Aprender a se comunicar de maneira assertiva ajuda a diminuir problemas de interpretações e mal-entendidos, pois enfatiza a troca de informações objetivas e assertivas, respeitando todos envolvidos na comunicação.

A comunicação eficaz está relacionada à assertividade e à civilidade. Assertividade é a habilidade de expressar pensamentos e sentimentos de forma direta, honesta e apropriada de modo que não viole o direito nem o seu direito, nem o de quem recebe a informação.

A civilidade, por sua vez, compreende a aceitação e expressão das regras sociais mínimas de relacionamento, incluindo aqui os gestos de cortesia, a apresentação, os cumprimentos, agradecimentos e elogios. Tudo isso permite que você se ajuste às normas de educação e melhore sua comunicação com os outros.

Por envolver regras sociais, é importante dizer que a civilidade vai variar de acordo com a cultura em que uma pessoa está inserida, significando que cada pessoa vai agir de acordo com o meio em que vive. Assim, por exemplo, se você vive aqui no Brasil, onde as pessoas se cumprimentam, em geral, com abraço, você tenderá a cumprimentar dessa maneira uma pessoa de cultura japonesa, onde o cumprimento costuma ser feito com a reverência (e o contrário é verdadeiro), pois é o comportamento que se espera na cultura de cada um.

Investir nessa importante habilidade, que é a de comunicar de maneira eficaz, fará com que você consiga se posicionar, se expressar e trocar informações com as pessoas ao seu redor de forma respeitosa para você e para elas.

Por outro lado, se você não investe nessa competência, você terá dificuldades em se expressar, passando a adotar uma linguagem de comunicação passiva ou agressiva. Na comunicação passiva, permite que seus pensamentos, sentimentos e necessidades sejam negligenciados, ou você irá para o outro extremo.

Já na comunicação agressiva, você busca exercer seus direitos e impor respeito a você de forma exagerada e abusiva.

Em ambos os casos, o que restará é uma comunicação falha e uma longa lista de insatisfações e prejuízo para todos os envolvidos nesta forma de comunicar.

4. Manejo de emoções

Uma habilidade importante é a auto eficácia emocional, que é a capacidade de se engajar em comportamentos adequados e efetivos frente às situações do dia a dia, ou seja, é saber manejar estados emocionais desagradáveis e recuperar os estados emocionais agradáveis de acordo com as situações vivenciadas.

Ser eficaz emocionalmente é fundamental para que você consiga manejar suas emoções, porque essa habilidade significa reconhecer as emoções agradáveis e desagradáveis em você e nos outros e conseguir expressá-las de forma assertiva.

Para isso, é importante entender como os comportamentos podem ser influenciados pelas emoções e aprender a responder elas de maneira adequada.

Neste post, falo um pouco mais a respeito dessa habilidade.

Quanto menos você desenvolve essa habilidade, menos clareza você tem e menor é o seu discernimento, o que pode fazer com que você entenda mal as ações das outras pessoas e as experiências que você vive e tenha mais dificuldade para resolver os problemas que virão dessa má interpretação, bem como tomar as decisões que se façam necessárias. Com isso, suas ações podem ser incompatíveis com o momento.

5. Manejo de estresse

Uma habilidade intimamente relacionada com a descrita no item acima, é a capacidade de lidar com o estresse, sabendo identificar as fontes de estresse na sua vida, entendendo como você é afetado por ele e criando estratégias para combater esses estressores.

Tão importante quanto saber identificar e lidar com as fontes de estresse, é saber pedir ajuda  para lidar com elas.

Quanto mais habilidosa você é em lidar com o que causa estresse, menos emoções negativas você tende a sentir.

Essa habilidade, assim como o autoconhecimento, pode ser desenvolvida desde a infância, ensinando-se às crianças e aos adolescentes como entender e reconhecer suas emoções e fontes de estresses e as dos outros para saber como lidar essas variáveis.

6. Pensamento criativo

Pensar de forma criativa é explorar várias alternativas (através de recursos do próprio ambiente, de experiências passadas, dos próprios recursos intelectuais) e consequências para situação e decisão, na tentativa de encontrar as melhores respostas possíveis para lidar com as diversas situações do dia a dia.

7. Pensamento crítico

Diz respeito à habilidade de entender, analisar, comparar e classificar as informações exploradas pelo pensamento criativo sob as mais diferentes perspectivas com clareza e objetividade.

Desenvolver essa capacidade eleva sua competência para decidir de forma segura e consistente e promove bem-estar emocional.

8. Resolução de problemas

Saber resolver problemas ajuda você a lidar de forma produtiva com os problemas do dia a dia, utilizando suas competências (como as anteriores) e os recursos de que você dispõe.

Para lidar com seus problemas da melhor maneira possível, você precisa ficar boa em reconhecer, nomear e definir o problema, além de ter um bom autocontrole diante dele e saber identificar comportamentos em si e nos outros que podem manter e resolver as situações e elaborar possíveis soluções (aqui entram as habilidades do pensamento crítico e criativo, onde você busca a possibilidade capaz de te gerar o maior bem-estar possível, de modo que você consiga tomar uma decisão).

9. Tomada de decisão

A tomada de decisão corresponde à capacidade de escolher a melhor opção depois de avaliar as alternativas possíveis buscando o maior bem-estar.

Essa habilidade ajuda a avaliar possíveis vantagens, riscos e consequências das diferentes situações que você vive e, portanto, está intimamente relacionada ao pensamento crítico.

10. Relacionamento interpessoal

Essa habilidade diz respeito à capacidade de interagir com o outro de forma positiva, respeitando as diferenças, de iniciar e manter bons relacionamentos com familiares e as outras pessoas do seu círculo social em busca de bem-estar mental e social e, por fim, saber terminar relacionamentos de forma construtiva, quando necessário.

Não preciso dizer que é através das interações com as pessoas que conseguimos carinho, apoio, colaboração, senso de realização pessoal.

Conclusão

Depois de ler este artigo, você sabe quais são as habilidades apontadas pela Organização Mundial de Saúde (MOS) para ter uma boa saúde mental.

Você também conheceu a definição de saúde mental e suas dimensões, de acordo com a OMS.

Com isso, agora você está ciente da importância de desenvolver essas competências.

Me conta aqui, nos comentários, quais dessas habilidades você quer desenvolver mais que eu trago nos próximos dias.

Este conteúdo foi criado a partir do estudo do seguinte artigo:

FERREIRA, I. M. F., Neufeld, C.B. (2020). Habilidades para vida. In: Federação Brasileira de Terapias Cognitivas, C.B. Neufeld, E.M.O. Falcone & B. P. Rangé (orgs.), PROCOGNITIVA Programa de Atualização em Terapia Cognitivo-Comportamental: Ciclo 07 (pp. 133-67). Porto Alegre: Artmed Panamericana. (Sistema de Educação Continuada a Distância, v. 1).

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
E-mail
Share on print
Imprimir

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

Damos valor à sua privacidade

Nós e os nossos parceiros armazenamos ou acedemos a informações dos dispositivos, tais como cookies, e processamos dados pessoais, tais como identificadores exclusivos e informações padrão enviadas pelos dispositivos, para as finalidades descritas abaixo. Poderá clicar para consentir o processamento por nossa parte e pela parte dos nossos parceiros para tais finalidades. Em alternativa, poderá clicar para recusar o consentimento, ou aceder a informações mais pormenorizadas e alterar as suas preferências antes de dar consentimento. As suas preferências serão aplicadas apenas a este website.

Cookies estritamente necessários

Estes cookies são necessários para que o website funcione e não podem ser desligados nos nossos sistemas. Normalmente, eles só são configurados em resposta a ações levadas a cabo por si e que correspondem a uma solicitação de serviços, tais como definir as suas preferências de privacidade, iniciar sessão ou preencher formulários. Pode configurar o seu navegador para bloquear ou alertá-lo(a) sobre esses cookies, mas algumas partes do website não funcionarão. Estes cookies não armazenam qualquer informação pessoal identificável.

Cookies de desempenho

Estes cookies permitem-nos contar visitas e fontes de tráfego, para que possamos medir e melhorar o desempenho do nosso website. Eles ajudam-nos a saber quais são as páginas mais e menos populares e a ver como os visitantes se movimentam pelo website. Todas as informações recolhidas por estes cookies são agregadas e, por conseguinte, anónimas. Se não permitir estes cookies, não saberemos quando visitou o nosso site.

Cookies de funcionalidade

Estes cookies permitem que o site forneça uma funcionalidade e personalização melhoradas. Podem ser estabelecidos por nós ou por fornecedores externos cujos serviços adicionámos às nossas páginas. Se não permitir estes cookies algumas destas funcionalidades, ou mesmo todas, podem não atuar corretamente.

Cookies de publicidade

Estes cookies podem ser estabelecidos através do nosso site pelos nossos parceiros de publicidade. Podem ser usados por essas empresas para construir um perfil sobre os seus interesses e mostrar-lhe anúncios relevantes em outros websites. Eles não armazenam diretamente informações pessoais, mas são baseados na identificação exclusiva do seu navegador e dispositivo de internet. Se não permitir estes cookies, terá menos publicidade direcionada.

Visite as nossas páginas de Políticas de privacidade e Termos e condições.

WeCreativez WhatsApp Support
Oi. Aqui quem fala é a Pri. Meu trabalho é te ajudar a alcançar seus sonhos. Vamos conversar?
👋 Olá, bom ter você aqui! Como posso te ajudar?